Livro Pentagrama Mágico

12 de dezembro de 2009

de Eduardo Sisterolli Alencar

História

O Pentagrama é um símbolo ocultista universalmente conhecido por ser detentor de grande poder. É também conhecido como Pentagrama Esotérico, Pentalfa Gnóstica ou Estrela Flamígera.

O Pentagrama com uma das pontas para cima representa a supremacia do espírito sobre os elementais, do espírito sobre a matéria e da vontade sobre o desejo.

Pode ser usado como símbolo de defesa e proteção (uma das pontas para cima e com um círculo em volta), mas pode também ser utilizado como meio de ataque, quando o pentagrama é posicionado com uma de suas pontas para baixo. Mas aquele que o usa tem que saber que tudo que produz lhe retorna multiplicadamente, ou seja, quem faz o bem recebe o bem, mas quem faz o mal, o recebe exponencialmente de volta, por isso há de se ter cuidado.

O Pentagrama físico, devidamente magnetizado, produz uma contraparte astral e mental poderosa, de energia espantosa, que tem a capacidade de afastar as criaturas não sintonizadas com o mesmo. O Pentagrama de Defesa afasta eficazmente os espíritos sintonizados com o mal, enquanto o pentagrama de ataque os atrai.

Abaixo vemos a significação das pontas do pentagrama.



Pentagrama e os elementos

O Pentagrama Positivo deve ser margeado por um círculo que, por sua vez, expressa o objetivo único de defesa.



Pentagrama vem da palavra grega πεντάγραμμον (pentagrammon), uma forma substantivada de πεντάγραμμος (pentagrammos) ou πεντέγραμμος (pentegrammos), que significa "cinco linhas".

As primeiras utilizações conhecidas do Pentagrama são encontradas em textos da Mesopotâmia que datam cerca de 3000 aC. Os Pentagramas sumérios serviram como pictogramas para a palavra "UB", que significa "canto, ângulo, cubículo, cavidade, buraco; armadilha", sugerindo algo muito semelhante ao pentemychos. No contexto babilônico, as margens do Pentagrama eram provavelmente orientações: frente, para trás, esquerda, direita, e "acima". Estas direções também tinham um significado astrológico, representando os cinco planetas Júpiter, Mercúrio, Marte e Saturno e Vênus como a "Rainha dos Céus" (Ishtar) acima.

Os druídas o utlizavam sob a forma de uma estrela regular de cinco pontas chamada “pé dos druidas”.

Pitágoras o considerava o pentagrama como o hinereu celeste, a união do Universo com o homem, a fusão da alma com o espítito. Considerava o numero 5 o numero do homem, representando o microcosmo. O Pentagrama era tão apreciado entre os pitagóricos (os discípulos e seguidores de Pitágoras) que para eles participarem das reuniões secretas era necessário portar um Pentagrama em sua mão direita. O Pentagrama pitagórico antigo foi elaborado com dois ângulos para cima, para representar a doutrina da Pentemychos. Pentemychos significa "cinco nichos" ou "cinco câmaras", também conhecido como o pentagonas - os cinco ângulos, e foi o título de uma obra escrita pelo amigo e professor de Pitágoras, Pherecydes de Syros. Na época, esse Pentagrama invertido não era considerado um símbolo do mal e, só depois, na idade média, é que houve tal distinção, ou seja, formalizou-se que o Pentagrama com um dos ângulos para cima, significava o triunfo do espírito sobre a matéria e o Pentagrama com um dos vértices para baixo, a vitória da matéria sobre o espírito. Foi também Pitágoras que associou o espírito e os elementos da natureza com os ângulos do Pentagrama

Pentagrama de Pitágoras


Encontramos uma citação a este simbolo na Bíblia Hebráica, referindo-se a ele como a Estrela do Manhã. "... Ao vencedor, e aos que guardarem até o fim as minhas obras, eu lhe darei autoridade sobre as nações. E com cetro de ferro as regerá, e as reduzirá a pedaços como se fossem objetos de barro; Assim como também eu recebi de meu Pai, dar-lhe-ei ainda a Estrela da Manhã " - Apocalipse de São João

Vede que cada homem e cada mulher são uma estrela, simbolizados pelo Pentagrama, porém hoje na humanidade este pentagrama se encontra invertido, simbolo da confusão, da morte e do delito cometido pelo homem. "Como caíste tu do céu, estrela brilhante, que eras tão esplêndida em teu nascimento". (Capítulo 14. Versículo 12. Isaías).

Já os primeiros cristãos, associavam o pentagrama com a imagem do Cristo, pois este símbolo representava uma outra forma do Alfa e Ômega, esotéricamente expressando o Cristo vivo. Após o advento do Cristianismo, a igreja associou a figura pentagramática com o mal, numa tentativa de conversão dos pagãos ao culto cristão.

Os alquimistas medievais recorriam à estrela de 5 pontas como sinal da Quinta Essentia, o quinto elemento, o éter-fogo ou, ainda, o Espírito Santo. É o sinal do Verbum Dimissum.

Heinrich Cornelius Agrippa, Abade Trithemo, Paracelso e Fausto de Praga, famosos ocultistas medievais, perpetuaram a popularidade do Pentagrama como um símbolo mágico, mantendo-se as atribuições de Pitágoras de elementos para os cinco ângulos. Em meados do século 19, uma distinção a mais foi criada pelos ocultistas, em relação à orientação do Pentagrama: com um único ângulo para cima, retratava o espírito presidindo os quatro elementos da matéria, e era essencialmente "bom". Por outro lado, o influente escritor ocultista Eliphas Levi atribuiu-lhe o mal, sempre que o símbolo aparecesse com o outro lado para cima.

Segundo Agrippa:

"Um pentagrama invertido, com dois ângulos para cima projeção, é um símbolo do mal e atrai forças sinistras porque subverte a ordem correta das coisas e demonstra o triunfo da matéria sobre o espírito. É o bode da luxúria atacando o céu com seus chifres, um signo execrado pelos iniciados. "

"A estrela flamejante, que, quando virou de cabeça para baixo, é o sinal do bode da magia negra, o bode de Mendes, cuja cabeça pode ser desenhada na estrela, os dois chifres no alto, os ouvidos para a direita e esquerda e a barba na parte inferior. É o signo do antagonismo e da fatalidade. É o bode da luxúria atacando o céu com seus chifres. "

"Vamos manter a figura da Estrela de cinco pontas sempre na posição vertical, com o triângulo superior apontando para o céu, pois é a sede de sabedoria, e se o valor é revertido, a perversão e o mal serão o resultado."

Pentagrama de Agrippa


Eliphas Levi também entregou este magestoso símbolo de força para a humanidade em seu livro intitulado "Dogma e Ritual de Alta Magia".

Pentagrama de Eliphas Levi


Posteriormente, o Pentagrama de Eliphas Levi foi modificado pelo Mestre Gnóstico V.M. Samael Aun Weor.

Pentagrama Gnóstico


O Pentagrama também é associado ao grau de Mestre Eleito da Maçonaria, no rito Escocês.

Comprar

12 de dezembro de 2009

Com o intuito de dinamizar a distribuição do livro 'Pentagrama Mágico (224 páginas)', do autor Eduardo Sisterolli Alencar, estamos disponibilizando-o para a venda no site Bookess, no formato digital, no valor de R$13,83.

Para Comprar Livro Digital clique no come da Bookess abaixo: